[SÉRIES] Louco à Lenda: Bem Vindos a Castlevania!

“What is a Man? A miserable little pile of secrets. But enough talk. Have at you!”

Alguém ai tá sentindo um gostinho de ferro na boca?! rs… E, assim, vem o mais famoso personagem da história, seja ela real ou fantasia: Vlad Tepes III, vulgo CONDE DRÁCULA, ou só Dracul, para os íntimos!

Claro que não tínhamos como não destacar essa figura tão querida por uns sadomasoquistas, torturadores e psicopatas e tão odiado por outros talvez o resto do mundo! Mas o fato é que o nosso vampiro mor acabou inspirando uma das maiores e melhores franquias já criada para consoles: CASTLEVANIA.

E sabe quem ficou assaz contente com essa história de sucesso do Senhor de todas as Noites? Foi o seu criador: um japonês que nem é tão famoso assim hoje em dia, aliás, talvez você nunca tenha ouvido falar até; é um tal de HIDEO KOJIMA (CEO da Kojima Productions – Criador da Série Metal Gear Solid e Co-criador de Metal Gear Rising Revengeance junto a Platinum Games entre outros vários sucessos). Sim, pequenos gafanhotos! Castlevania é SÓ a história de uma das figuras mais icônicas de toda a história na visão de ninguém menos que Hideo Kojima. Você acha que tinha como dar errado!? Pior que no começo até que deu mesmo, MAS titio Kojima consertou a tempo.

Assim sendo, peguem seus cálices de cobre, suas capas com longos colarinhos vermelhos, passem seu melhor gel e afiem seus dentes que lá vem o banquete!

Realidade x Ficção

Meu caro leitor, você realmente acredita que Drácula é somente um personagem criado por Bram Stoker em 1897 que fazia mal a apenas jovens donzelas indefesas que visitavam seu castelo por pura curiosidade em se aventurar? Então meu querido, você errou e feio!

Em 1431 nasceu, na Romênia, o príncipe das trevas Vlad Tepes III. Segundo relatos da época, ele foi o ser humano (Se é que se enquadra nessa categoria!) mais perverso que já pisou na Terra. Só para ilustrar o nível da sua maldade, o príncipe Vlad III, quando rei, fazia questão de empalar seus inimigos e deixar os cadáveres a mostra na entrada do seu castelo ou até mesmo fazer suas refeições assistindo empalhamentos por simplesmente sentir prazer ao ver tais cenas! (Alguém aí lembrou de Clive Baker ou fui só eu?! Rs)

Vlad Tepes III - O “Louco” Filho do Dragão

Vlad Tepes III – O “Louco” Filho do Dragão

Claro que existiram outros feitos apocalípticos de Vlad III que chocaram todos na época. Por exemplo, segundo alguns relatos, foi que ao avistar um camponês com sua camisa levemente suja perguntou a ele se tinha esposa e se ela era saudável e prontamente o camponês disse que sim. Em questão de minutos os soldados dele trouxeram a tal esposa a público e lhe cortaram os dois braços e Vlad III arrumou outra esposa saudável para o mesmo camponês quase que instantaneamente e, apontando para a outra que tinha acabado de ser mutilada, diz: “Que sirva de exemplo àquela que não cumprir suas obrigações de mulher.”. Ou até mesmo quando ordenou que pregassem os chapéus nas cabeças dos camponeses que não o reverenciavam quando passava.

É meus queridos, Drácula existiu e foi mais Bad Boy que 5 Chael Sonnen JUNTOS!!!

O nome Drácula vem do latim DRACULEA que significa “O Filho do Dragão”, e lhe foi dado porque seu pai, Vlad II, fazia parte de um grupo cristão conhecido como Ordem do Dragão e era chamado pelo radical DRACUL que significava “O Dragão”. Em algumas traduções mais simples, Dracul também significava “Diabo”. Talvez isso explique um pouco as atrocidades do bonitão.

E aqui nasce a lenda: a imagem de um rei louco que maltratava o próprio povo e não tinha nenhum respeito ou misericórdia pelo inimigo que em uma batalha levou uma forte pancada na cabeça, levando todos a acreditarem que tinha morrido e fazendo com que batessem em retirada. Depois de alguns instantes, Vlad III levanta como se nada tivesse acontecido e chama todos os seus soldados de volta a batalha e, dando asas a imaginação da massa, assim se perfez a figura do príncipe morto-vivo, gerando a pior das figuras da história.

Nesse ponto, temos o nosso personagem protagonista (mais atualmente) e antagonista (mais antigamente) de Castlevania.

Simples, Mas Revolucionário!

Capa Vampire Killer - Olha a cara de Coringa desse Drácula! rs

Capa Vampire Killer – Olha a cara de Coringa desse Drácula! rs

“Vampire Killer” esse é o nome do pai da nossa querida franquia Castlevania! O enredo principal gira em torno de um caçador de vampiros, Simon Belmont, que sai na noite para poder caçar o maior deles e acabar com o mal da Transilvânia portando o chicote outrora conhecido como Vampire Killer. Simples assim!

Acho que nem o próprio Kojima imaginaria que essa história fosse tão bem aceita e, é óbvio, que ele explorou o máximo possível dela de 1986 até 2010.

Graças as brilhantes idéias de Kojima e desse predecessor, nasceu a lendária rixa entre os clãs Belmont e Tepes que se estendeu durante séculos tendo vários capítulos para serem contados e lembrados, assim como surgiram várias figuras icônicas também em seu enredo, como o próprio Simon Belmont, seu filho Trevor Belmont, seu neto Richard Belmont entre outros. Alguns até conhecidos do universo RPGista como as Súcubos e Lobisomens. Enfim uma história lendária de vampiros e caçadores.

Durante esses 24 anos a história do jogo foi basicamente “Caça aos Vampiros” com várias versões e motivações diferentes como rapto a donzela, destruição do mundo, dominação total, erradicação dos vampiros, entre outros, e vale ressaltar que junto com todas essas alterações de roteiro também houveram várias trocas de protagonistas e todos alternando entre as gerações do clã Belmont até que no capítulo mais famoso da série (Symphony of the Night – 1997 [SotN]) houve uma quebra desse protocolo e o personagem principal passa então a ser Adrian Tepes.

Adrian Tepes dando uma voltinha no Castelo

Adrian Tepes dando uma voltinha no Castelo

Pois é, Alucard é Adrian Tepes. O filho do Drácula, conhecido pelo anagrama do nome do pai, agora caça o próprio pai em virtude de libertar o amigo Richard Belmont das garras de Shaft, um necromante que planeja trazer Drácula de volta a vida depois de todos os acontecimentos anteriores ao jogo. A história de SotN, resumidamente, se enquadra no laço de amizade construído entre Adrian e o clã Belmont pela afinidade de querer colocar um fim as atrocidades de seu pai. Nessa aventura, Alucard se depara com vários ícones da franquia sem falar que a imersão RPGística do jogo aumentou exponencialmente sofrendo várias alterações tanto no motor gráfico quanto na jogabilidade, pois Alucard passa a ser o 1º personagem que não utiliza o Chicote Vampire Killer como arma. Sem falar que agora Alucard possuía as magias e habilidades inerentes a um vampiro, o que torna o jogo BEM mais interessante como quando se joga com um mortal. rs

Sem dúvida SotN foi um grande divisor de águas na franquia Castlevania, pois foi ele quem gerou o êxtase de se jogar com um vampiro na série. Foi revolucionário, na época! #QuemNunca quis ser um vampiro só pra ter os 2 melhores poderes da raça: Persuasão e Névoa. Assim então vale ressaltar que SotN teve um papel fundamental pois seria a base do trabalho para Kojima rebootar a série a partir de 2011, porque todos os capítulos subsequentes à SotN, salvo um ou outro, foram um tentativa frustrada de dar o mesmo gás que este capítulo gerou nos gamers de plantão. E assim chegamos a 2011… Aaaaaaaaaahhh, 2011… Muauaua

Revolucionário e MUITO Bem Feito!

E é aqui, senhores, que a história fica assáz interessante! Quer saber porque? Como diria nosso amigo jornalista Pedro Bial: dá uma espiadinha:

Sim, senhores, Castlevania foi rebotada em 2011 com o capítulo Lords of Shadow (LoS) e, por incrível que pareça, o antagonista principal da série, Drácula, virou fumaça!!!………….. Há, entendeu? Fumaça? Vampiro? Ok, Deixa pra lá! Rs

Falando um pouco do jogo, ele tem um motor gráfico ampla e notoriamente melhorado à que seus antecessores (Claro que a geração ao qual foi lançado ajuda bastante!) e a jogabilidade é bem estruturada e tem alusões a God of War, pra quem já é mais familiarizado com o gênero. Com certeza não haverão arrependimentos de perder umas 5 horinhas pra se deleitar com a selvageria deste título. #AltamenteRecomendado

Sobre a história, Kojima precisava de alguém carismático o suficiente que prendesse a atenção do público, mas que não fosse tão clichê quanto os outros Belmont já criados e assim nasce Gabriel Belmont, o amado esposo de Marie que fora acidentalmente morta pelas sombras que dominam os corações da época, e, com essa motivação auxiliada pelas ordens e ensinamentos da Irmandade da Luz, ele tenta cumprir a profecia de destruir os Senhores das Sombras para que a paz reine novamente na Terra empunhando sua tão eficaz e assustadora Vampire Killer.

Neste capítulo, senhores, acredito eu existir o enredo e o desfecho mais INCRÍVEL JÁ VISTO em um jogo de console! E olha que não comecei a jogar ontem. Tenho alguns anos de estrada já! Mas, brincadeiras a parte, titio Kojima fez MUITO BEM a lição de casa e, sem dúvida, é de parar os batimentos cardíacos em dados momentos do jogo! Só pra vocês terem uma idéia da grandiosidade do título, um dos primeiros chefes do jogo é um TITÃ! Sim, sim, lembrou-se de alguma coisa? Shadow of Colossus talvez!

Sean Connery?

Sean Connery?

Sean Connery!

Sean Connery!

Acreditem quando digo que daí pra frente é só diversão até porque o Mestre Kojima, não satisfeito em fazer um SENHOR enredo, ele ainda faz chover easter-eggs no jogo. Ou vai me dizer que não deu uma saudadezinha dos anos 80 quando você encontra Zobek, o guia de Gabriel? Eu sinto bastante, porque afinal de contas, “Só deve haver um!” … #ficadica

Assim sendo, LoS foi o alavancador estrondoso novamente da saga Castlevania e devolvendo novamente o glamour que é seu por direito, MAS titio Kojima não estava satisfeito só com o renascimento bem sucedido da saga, como ele queria maaaaaaaisss como todo bom vampiro!, e assim no dia 25 de fevereiro de 2014 foi lançado a continuação sua tão aguardada continuação: Lords of Shadow 2.

A Lenda Ressurge

Tava na hora de acordar mesmo hein! Tem umas olheiras grandes ai já!

Tava na hora de acordar mesmo hein! Tem umas olheiras grandes ai já!

Meus queridos leitores, é com profundo prazer e o mais felizmente possível que lhes dou a notícia do retorno triunfante ao antagonista mais protagonista desta saga: apresento-lhes O RETORNO DE DRÁCULA! E a melhor notícia vem agora: ELE É O PROTAGONISTA OFICIAL DO JOGO! Siiiiiim!!!!…. Chega de Belmonts na sua vida, agora o buraco é mais embaixo! Você joga com nada menos que o próprio Drácula nesta sequencia voraz de Castlevania. E ao que tudo indica, ele não será o único Morto-Vivo Revivido (!) mas tudo leva a crer que um antigo personagem também dará as caras, afinal de contas, se o pai pode, porque o filho não poderia?!

A história gira em torno, basicamente, da humanidade de Drácula e sua ânsia pela morte! Dessa forma, Kojima conseguiu explorar um universo completamente novo e contraditório dentro da sua pequena cria de 28 anos, porque em nenhum momento Drácula foi encarado como personagem principal, enfrentando conflitos de personalidade mesclados ao seu destino e suas missões.

Tudo leva a crer que o jogo tem tudo para ser tão ou mais excelente quanto o seu antecessor e que titio Kojima continue nos surpreendendo cada vez mais com suas histórias contadas através desta saga tão envolvente e empolgante que foi, é e está sendo Castlevania, até porque o homem pode ser uma pilha desprezível de segredos, mas com certeza o Príncipe das Trevas tem bem mais preocupações do que apenas os filhos de Deus querendo sua cabeça, isso eu garanto! Rsrs

Informação Extra

Gerard Buttler

Áqueles que gostam da figura mitológica do Conde mais famoso do mundo, vale ressaltar que existe um filme feito a um tempo atrás chamado “Drácula 2000” onde o Drácula é revivido por Gerard Butler (Leônidas em 300) e que tem uma história de origem diferente da convencional que eu, particularmente, achei muito bem contada! Vale a pena dar uma conferida depois, até porque é na indústria cinematográfica que surgem as inspirações pros melhores imperadores, reis tiranos, sociopatas e adjacências que toda aventura de RPG precisa para sobreviver! #PenseNisso

Author: Diego Cobbi

um RPGista nato...

Share This Post On

Submit a Comment