[RESENHA] Hemlock Grove

“Today I have seen the dragon…”

Olá para todos!

Em 27 de Março de 2012 foi lançado o livro Hemlock Grove escrito por McGreevy, um romance cheio de mistérios e personagens sobrenaturais que se tornou a base para a série da Netflix com o mesmo nome que teve sua estreia pouco mais de um ano depois, em 19 de Abril de 2013.
A história acontece na cidade Hemlock Grove e gira principalmente em torno dos Rumancek e dos Godfrey, duas famílias cercadas por segredos, magia e muito mais. E tudo isso, claro, da muito “pano pra manga”.

hemlockgrove1pic

Em primeiro lugar devemos pontuar algumas coisas sobre as criaturas sobrenaturais que aparecem nessa série e que já nos são conhecidas: Os lobisomens.
E para isso preciso avisar algo muito importante:
Os próximos parágrafos contém spoilers… Spoilers, spoilers e mais SPOILERS!
Pronto!
Com a consciência tranquila por ter deixado a decisão de continuar a ler, sabendo disso, em suas mãos, eu prossigo.

É como uma releitura desses seres ou a forma como eles são vistos por outras culturas.
Peter Rumancek, um dos personagens principais, é o lobisomem com o qual temos mais contato durante a série.

Nesse caso temos ainda a transformação dos lobisomens durante as luas cheias, de forma natural, pois nos foi mostrado no decorrer da história que ela também pode ocorrer em outras luas, mas isso, como tudo, tem um preço.

hemlock-grove

No ato da transformação já temos diferenças notáveis em relação ao padrão. Os lobisomens não perdem só as roupas e elas também não desaparecem magicamente, assim como a pele humana deles também não, durante a transformação os olhos humanos caem dando lugar aos olhos caninos e o mesmo ocorre com a pele do ser, um dos pontos mais interessantes é ver o lobo comendo a própria pele após a transformação. É clara também a intenção de mostrar que esse não é um processo que ocorre de um segundo para o outro e que também não é indolor.

Vários outros detalhes aparecem pela história, entretanto esse foi só um resumo dessa criatura, não o nosso ponto principal nesse texto pelo menos.
Hoje nós vamos falar sobre outra criatura sobrenatural da série.

Os Upir.

Essas criaturas aparecem nos folclores eslavo e romeno.

Desde os primeiros episódios nos deparamos com esse termo, principalmente se referindo a dois personagens de extrema importância na história.

Roman e Olivia Godfrey.

Entretanto, não são passadas, durante algum tempo, maiores informações sobre o que seriam os Upir.
Acompanhamos, no entanto, desde o inicio o fato do Roman ter certa fascinação por sangue e mais pra frente o interesse de Olivia em carne crua, assim como as demonstrações de “sugestões”, ou controle mental, feitas por Roman em diversas situações, um personagem extremamente confuso e impetuoso que “não sabe o que é” e está descobrindo “o que pode fazer”. Nesse ponto a galera já está gritando “VAMPIRO!”.

guilty-pleasures-hemlock-grove1_500x333

Hmmm… Não tãããão depressa.

A história traz diversas frases de efeitos usadas em vários momentos que se fixam na sua memória de forma impressionante, principalmente pelo mistério que as envolve e que é revelado aos poucos.
Uma das mais importantes frases é a “Today I have seen the dragon!”, utilizada por alguns dos personagens enquanto o drama se desenrola, colocando mais mistério na mistura.

Essa frase está ligada ao instituto Godfrey, aonde está sendo realizado, pelo Dr. Pryce um “projeto” chamado “Ouroboros”, algo que, nas palavras do doutor, irá mudar o mundo.
Entretanto temos também a “Ordem do Dragão”, da qual Dra. Chausser, uma especialista em “caça e pesca – controle de animais”, como é inicialmente apresentada, faz parte.

Essa ordem tem ligação direta com a Igreja Católica e é uma ordem de caça a seres do mal, os lobisomens.

Ainda não ficou claro na série se a ordem se limita a caçar esses seres ou se esse era o dever unicamente da Chausser, mas é sabido que eles possuem conhecimento da existência dos Upir também.

Esses comentários foram para mostrar que o “dragão” aparece em partes diferentes da história e também permanece como um mistério a ligação entre essas partes.

E aqui nós retornamos aos Upir.
No final da temporada são expostos diversos fatos e relembrados outros que nos dão informações sobre o passado de Olivia Godfrey, coisa que esteve muito bem guardada até então.

A mulher (???) não morre com um tiro no peito, pelo contrário, poucos cenas depois, ainda no mesmo lugar, fora a mancha de sangue na roupa ela está em perfeito estado, cospe pedaços de carne crua em um acesso de tosse, mata seus próprios bebês, com exceção do Roman, dentre varias outras coisas do cotidiano de todos nós, claro.

Olivia-Godfrey

Só pode ter alguma coisa errada.
Com a revelação da história dela sabemos que ela nasceu com uma cauda, que a cortou sozinha após uma grande decepção, que morreu e acordou novamente, quando era uma menina, julgando pelos costumes da época há muitos, muitos, muitos anos atrás.

Então espera… Isso não é exatamente um vampiro, pelo menos não da forma como conhecemos, afinal, um vampiro depois de morto e transformado por outro vampiro nesse nosso tão conhecido morto-vivo permanece com a aparência da idade que tinha quando sua vida imortal se iniciou, o que não acontece nesse caso, já que ela é hoje uma mulher mas mesmo assim parece não envelhecer desde que entrou para a família Godfrey.

Ela não demonstra também ter problemas com alho ou água corrente e anda tranquilamente à luz do dia.
Em contrapartida ela adquiriu caninos alongados após “reviver”, assim como todo bom vampiro.
É… É bem confuso.

Então vamos ao finalmente… O QUÊ, CACETARALHADAS DE COISAS, É UM UPIR?

Um Upir (ou Upyr) é reconhecido desde o nascimento, pois nasce possuindo uma “cauda”, segundo o folclore eslavo (como o caso da Olivia), ou nasce envolto pela membrana fetal, segundo o folclore romeno (como o caso do Roman), segundo o folclore russo o Upir é visto como um tipo de vampiro, entretanto histórias mais completas sobre eles retratam um tipo de dragão que se alimenta de seres humanos (sangue ou carne) e que devem morrer pelas próprias mãos para despertarem seu verdadeiro poder.

O folclore eslavo reza que os “Upir-completos” são metade bruxos, metade demônios e que um “meio-Upir” é metade humano, tendo a outra metade dividida entre bruxo e demônio e que ele passa pelo ato de matar a si mesmo para que a parte humana morra e ele se torne assim um Upir por inteiro e adquirir habilidades mais fortes que os “meio – Upir” não possuem.
Em todas elas eles são criaturas temidas por sua habilidade de hipnotizar, suas presas e em alguns casos são relatados possuindo super-força e o fator de cura.

Fora as diferenças de nascimento, os poderes e o fato do suicídio para o novo despertar, a série ainda não passou explicações exatas sobre os Upir, mas em uma das últimas frases que Olivia diz para o filho Roman ela afirma que ele não é um guerreiro e sim um dragão! Então para mim um Upir não pode ser considerado um vampiro ou só um vampiro, afinal, parece que a parte da criatura como um tipo de dragão é a adotada nesse caso.

Se eles são os dragões aos quais se refere a frase principal do projeto Ouroboros ou que dá vasão ao nome da ordem religiosa de caçadores não ficamos nem perto de descobrir.
E é por isso que estamos conversando sobre o assunto no aguardo do inicio da segunda temporada que está vindo por aí!

Muitas partes da série não foram contadas e mesmo assim o texto já ficou extenso, da para entender porque não foram abordados outros personagens que também são de suma importância para a trama, mais símbolos que tiveram muita ênfase, como a serpente engolindo o próprio rabo, ou mais informações sobre a história, mas, independente disso, nessa caminhada por Hemlock Grove você precisa se lembrar de algumas coisas e, se você é um ser de fé, lembre-se principalmente que “Deus não quer que você seja feliz, ele quer que você seja forte.”

‘Cause…

“Today I have seen the dragon.”

Author: Bárbara Niens

Share This Post On

5 Comments

  1. A série é uma das melhores para se assistir na Netflix. Com personagens bem interessantes. E acho pouco provável que uma pessoa que assista não fique intrigada em descobrir quem ou o que é o vargulf. Excelente Resenha.

  2. Bom ,.. eu sou uma grande fã da serie , mais ate hoje eu nao sabia ao certo o que era um upir, agora posso ter uma ideia , e estou anciosa para a quarta temporada <3 vlw otima resenha parabens

    • Olá Angelica,

      Tudo bem?

      Obrigada a você por ter lido e comentado. 😉

      Ansiosa pelas novidades da quarta temp? hahaahha
      Nós fãs sempre sofremos com o mistério e a demora. 🙂

      Um grande abraço! ^^

Submit a Comment