[RESENHAS] Descendentes de Bláinn – Sobre os Anões na mitologia e no RPG

Os anões sempre estiveram presentes na imaginação das pessoas, comumente associados a lendas fantásticas e mundos distantes. Dividindo essas lendas com elfos, magos, dragões e orcs, eles são parte essencial na construção de praticamente todos os mundos de fantasia.

No entanto, nem todas as pessoas sabem que os anões possuem uma história rica e complexa na mitologia do nosso mundo.

hobbitdwarvesl

 

Ossos e Sangue

Anões Mitológicos

Anões Mitológicos

Apesar de possuirem diversas origens, as lendas dos anões do nosso mundo são normalmente associadas com os antigos contos Nórdicos e Germânicos. Um dos mais famosos é a versão descrita na Edda Poética (A Profecia do Vidente) que diz que eles surgiram dos ossos e sangue do gigante Bláinn. Ymir e Aurgelmir e Bláinn (ou Brimir como ele também é conhecido), eram criaturas primordiais nascidas do veneno elemental e ancestrais de todos os Jötnar, ou gigantes.

Depois da Cristianização dos povos Germânicos, as histórias sobre os anões continuaram a ser difundidas no folclore local. Foi nessa época que surgiram as lendas sobre os anões possuirem espantosas habilidades de cura e grandes conhecimentos na forja de armas e armaduras.

hobbit-the-hobbit-an-unexpected-journey-balin-dvalin-gnomes

A Era das Trevas

Saindo das lendas e entrando em nossos imaginários os anões sempre fizeram parte de mundos fantásticos. O mais conhecido desses mundos é a Terra-Média, criada por J.R.R.Tolkien. Nesse universo os anões, assim como os Elvos, despertaram no mundo de Arda na primeira era (especificamente nos Anos das Árvores ou a Era das Trevas como ela ficou conhecida). Nesse período o mundo era controlado pela Senhor do Escuro conhecido como Melkor. Em segredo o valar Aulë, o forjador, criou nas montanhas uma raça para que ele pudesse ensinar suas artes. No entanto Ilúvatar, o Deus Único, descobriu sobre essas criações. Quando confrontado por Ilúvatar, Aulë ergueu seu martelo decidodo a destruir suas criações. Mas o Deus Único, tocado pela vontade de seu servo interrompe o valar e permite que eles continuem existindo. Mas a condição para isso era que eles nunca despertassem antes dos primeiros-filhos, os Elfos. Aulë então sela os Sete Pais dos Anões em câmaras de pedra nos confins da Terra-Média para aguardarem o momento certo para despertarem.

Sete pais dos anões

Sete pais dos anões

 

Moldados por Moradin

Moradin

Moradin

Dentro dos cenários de RPG os anões foram introduzidos (assim como os gigantes) através de um jogo chamado “Chainmail”, um dos percursores do D&D, em 1971, mas só tornaram-se uma raça jogável em 1974. Oportunamente os cenário de D&D que surgiram baseados na edição original criaram suas próprias mitologias e mitos de criação acerca das raças que populam esse mundos.

Dentre eles o mito mais comum é que Moradin, divindade e patriarca dos anões, foi incarnado da pedra, rocha e metal e que sua alma é uma brasa de fogo. A lenda conta que ele forjou os primeiro anões de metais e gemas preciosas e que suas almas surgiram dos sopros que ele direcionou a eles para resfriá-los ao removê-los da forja.

 

Os Senhores de Khaz Modan

Símbolo Ironforge

Ironforge

No famoso jogo de MMO World of Warcraft os anões derivam dos earthen, um protótipo de raça humanoide de pedra viva criada pelos Titans para moldar o mundo de Azeroth. No entanto depois de uma praga divina recair sobre eles e novas modificações realizadas pelos seus criadores durante esse período, os anões (como eles passaram a ser chamados) sofreram uma última e radical mudança no fim da Guerra dos Anciões a mais de 10,000 anos atrás. Além de transformá-los no que eles são hoje esse evento também criou diferentes tipos de anões, espalhados por todo o continente.

 

Os Reis das Montanhas da Névoa de Cristal

Concluindo, assim como os Elfos, os Humanos, os Dragões e outras raças, os anões possuem uma personalidade marcante, com histórias complexas e ricas. Desde a sua concepção baseados em grande parte na mitologia Nórdica, eles carregam dentro de si um grande senso de honra, familia, um amor pelas suas criações e uma retidão no combate inigualável, características que se tornaram icônicas em quase todos os filhos de Moradin. Nenhum aliado é tão leal quanto um anão, assim como nenhum inimigo é tão implacável.

Principado de Ulek

Principado de Ulek

 

Gemas Preciosas

Gemas Preciosas

  • Na Edda Poética (A Profecia do Vidente) de Bláinn surgiram os primeiros anões, Norðri, Suðri, Austri and Vestri que eram os responsáveis por manter o céu no firmamento;
  • Ainda na Edda Poética os anões eram comparados com os svartálfar e dökkálfar (os Elfos Negros);
  • As anãs raramente são mencionadas nos textos antigos sobre os anões. No entanto em uma balada Sueca “Herr Peder och Dvärgens Dotter” (Sir Peder e a filha do Anão), o papel de sedutora sobrenatural é da filha de um anão;
  • Anões tem uma expectativa de vida muito superior a de um ser humano, vivendo em média 300 anos;
  • Na Terra-Média anãs são raras e possuem barbas. Por se vestirem da mesma maneira que os anões as pessoas acham que elas não existem;
  • Em Athas, o planeta da campanha Dark Sun os anões possuem em média um metro e meio e pesam quase 90 kilos. Cada anão possui uma obsessão singular, chamada focus, que exige pelo menos uma semana para ser completada;
  • Os anões de Athas não vivem no subterrâneo, mas algumas comunidades focam em desenterrar antigas fortalezas anãs a muito esquecidas. Fisicamente os anões de Athas são únicos entre a raça, não possuindo nenhum cabelo;
  • O mundo com a maior variedade de subraças de anões é o Faerûn, do cenário de Forgotten Realms;
  • Os anões do cenário de Speeljamer operam em enormes asteroides com tuneis parecidos com colmeias;
  • As armas preferidas dos anões foram aperfeiçoadas dos seus utensílios de trabalho, como picaretas, marretas, martelos, entre outros.

hr_The_Hobbit-_An_Unexpected_Journey_22

Author: Vasco Sagramor

Colunista de RPG e quadrinhos, narrador nacional do LARP Sociedade do Olho da Mente (focado em cenários da editora White-Wolf) e nerd convicto. Apesar da cara de mau um cara divertido, entusiasta de cervejas, bourbons e culinária. Gerente de Projetos de TI para colocar para fora meu lado organizado e controlador, mas com esperanças de partir para áreas de criação, onde posso colocar meu hobby e trabalho na mesma cesta.

Share This Post On

2 Comments

  1. gostei da publicação isso poderia dar uma série falando sobre as raças dos mundos de fantasia como Faerun, Arton, terra media, e etc…
    gostaria de ver um sobre os orcs ^^

    • Matheus,

      Obrigado pelo comentário e por acompanhar o blog da Roleplayer’s.

      Quanto a essa publicação se tornar uma série, é uma idéia bacana. Vamos conversar com o resto da equipe e ver a viabilidade disso. Mas obrigado pela idéia… =)

      Um abraço

Submit a Comment