O fim do mundo começa hoje!

É claro que um dia o mundo vai acabar.

Mesmo assim, a vida continua a existir. Na Arca, um pequeno assentamento na fronteira de uma cidade já morta, o Povo vive. Vocês são a cria da humanidade, mas já deixaram de ser humanos. São verdadeiros mutantes, aberrações. Seus corpos e mentes tem poderes incríveis, mas isto lhe torna instável, frágil.

Ele é seu líder, mas não é como vocês, ele é um Antigo. Ele sempre lhes avisou: mantenham-se de guarda, fiquem na Arca ou a Podridão irá lhe pegar. Ou algo pior ainda. Até então, vocês obedeceram, expulsaram todo e cada estranho que chegou perto da Arca. Poucos ousaram se aventurar nas Zonas. É assim que o Ancião chama o mundo lá fora.

É hora de se aventurar, de explorar as Zonas, procurar por artefatos, por conhecimento. De construir e melhorar a terra, procurar outros, criar uma civilização nas ruínas do passado. Buscar sua origem. Talvez, um dia, você achará o Éden das lendas, o paraíso dos Antigos em meio à todo este inferno. É lá que a salvação e a verdade lhe esperam, ou pelo menos assim dizem as lendas.

Este é o Ano Zero.

A franquia Mutant tem uma longa e rica história na Suécia, que atualmente é a meca do game design voltado ao roleplay.

A primeira edição foi lançada pela Target Games em 1984. Esse RPG surgiu no epicentro da Guerra Fria, na Era Dourada do RPG europeu. Houveram diversas edições desde então. Uma delas deu origem à popular franquia Mutant Chronicles nos anos 90.

Como deu pra perceber pelo texto acima, Mutant: Ano Zero leva à franquia de volta às origens com um RPG pós-apocalíptico, originalmente desenvolvido pela editora sueca Fria Ligan, sob licença da Paradox Entertainment. A edição brasileira foi publicada em 2016 e ficou por conta da Pensamento Coletivo.

Esse incrível RPG mistura o clima de games como Fallout e Wasteland com a temática de filmes como Mad Max, Eu Sou a LendaA Estrada de Cormac McCarthy.

Os jogadores criam integrantes do Povo — humanos mutantes vivendo na Arca, um pequeno e isolado assentamento em um mar de caos. O mundo exterior é desconhecido para os jogadores, assim como sua origem.

Segundas quinzenalmente á partir das 21h30, Annita “Amedyr”, Bruno Cobbi, Edu Vancsek, Flavia Gasi e Rafael Balbi se reunirão no Twitch do Perdidos no Play diante do escudo de Marcio Moreira para jogarem juntos uma aventura de Mutant: Ano Zero.

Confira nossas agendas e configure os lembretes para não perder nenhuma das nossas transmissões!

Estamos esperando você! #vemjogarRPG

Quando?  Segundas quinzenais, a partir de 10/11/2017
Que horas?  20h30
Onde?  No Twitch do Perdidos no Play
Quanto custa?  Participação gratuita no chat, mas recomendamos dar uma força pra galera do Perdidos no Play, curtindo no Facebook, seguindo no Twitch, Twitter, G+, Instagram e se inscrevendo no Youtube. Se curtir o trampo dos caras, inscreva-se no Twitch ou apadrinhe os caras.

O trabalho deles é muito firmeza.

O que vai rolar?  Transmissões ao vivo de Mutant: Ano Zero (RPG)
Informações:  Escreva para contato@roleplayers.com.br

Author: Bruno Cobbi

Lidero a Roleplayers na transformação de RPG em negócio. Gosto de videogames, luta-livre e histórias bem contadas. Reciclo meu lixo, consumismo, stress e ideias. Adoro bom-humor, gente alto astral e cheiro de chuva no asfalto. Odeio bicho engaiolado, telefone tocando e pessoas que odeiam coisas demais. Nunca acho que tenho amigos o bastante e sei que o mundo é do tamanho que cada um consegue enxergar.

Share This Post On

Submit a Comment