[MESTRES FÊMEAS] Minha primeira vez no RPG

Olá Roleplayer! Chegou a hora das Mestres Fêmeas conquistarem seu espaço na seção de rolecast!

Em nossa primeira empreitada, Liz, Bah Lenora, Renata e Thata Petunya expõem sem medo nem pudor como foi a experiência da Primeira Vez… no RPG.

barbarian

Nesse cast:

  • Mulheres e RPG: a inserção do feminino nesse Universo até pouco tempo quase exclusivo dos Machos Nerds Alfa
  • Como foi a primeira vez das Mestres Fêmeas (numa mesa de RPG)?
  • Preconceito e intolerância, isso existe dentro do RPG?
  • Situações conflituosas e triunfo da satisfação de ter o melhor hobby do mundo
  • Um codinome para Renata: responda a enquete no Facebook agora!

Não perca Domingo no Fantástico Rolecast Minha Primeira Vez no RPG!

Bonus tracks:

Gostou? Deixe seu comentário, se você já faz parte do mundo RPGístico diga-nos como foi sua primeira vez! Aceitamos sugestões de temas, dúvidas, presentes, maquiagem, sapatos, fantasias de cosplay, livros de RPG e dados!

Sound track:

  • Para ouvir as músicas do Cast clique aqui!

#EUOVO

 

Clique com o botão direito e Baixe o MP3! | Open Player in New Window


Assine o feed do rolecast
Escreva para mestresfemeas@roleplayers.com.br

Author: Liz Oliveira

Libriana, bailarina oriental, terapeuta holística, narradora roleplayer, casada com um paladino, mãe de cinco gatos, adora cozinhar e é apaixonada por literatura fantástica, maquiagem, cristais e por contar histórias.

Share This Post On

41 Comments

  1. Curti bastante, não fazia ideia de que rolava de fato esse tipo de preconceito por aí… Nas mesas que eu joguei ou narrei quase sempre tiveram meninas, e nunca rolou esse tipo de coisa, acho até estranho, coisa de gente com probleminhas… Puxar o saco eu já vi, o narrador mesmo salvou a menina algumas vezes, rsrs…
    Mas ele nunca foi um ótimo narrador.

    Gostei da edição, ficou legal.

    Renata, não fique com vergonha! Participe mais da próxima vez!

    Parabéns e continuem rolando os dados!

    • Gratidão pelo feedback Cristiano! Para nós é muito importante saber como a galera está recebendo as novidades!
      Viu Renata!! O povo já té pedindo pra vc falar mais! kkkkkkkk!
      Bjs D20! ;-*

    • Oi Cristiano, fico feliz pelo seu comentário. Fui eu quem fez a edição e sempre estou buscando melhorar para dar sempre o melhor para vocês *-*

    • Vou tentar parar de ter vergonha UHAUAHUAAUHA, é até estranho, pq cara a cara não sou tão tímida, tenho vergonha de ser gravada!! Vou participar siim o/

  2. #VaiRoleplayers!!!!!!! #VaiMestresFêmeas!!!!!!!
    Parabéns meninas… ficou SHOWWW!!!!!!!!!!

  3. Muuuuito show o cast de vcs meninas 😉
    Jogo na fabrica com a Bá e sao sempre muitas risadas! Tambem mestro/jogo ha uns 14 anos e vocês estão de parabéns! Bora manter o RPG vivo e espalha-lo cada vez mais!!! Bom é isso, rapido e furtivo, chequem suas bolsas porque a hj em dia a criminalidade ta de mais… bjos
    Ps1: nao fui eu
    Ps2: ja tava assim quando eu cheguei

    🙂

  4. Já tentei apresentar o RPG para a minha primeira namorada, mas todas as minhas tentativas foram em vão, com a segunda, eu consegui e jogamos por longos anos, contudo ela sempre deixava bem claro que não gostava e jogava apenas para acompanhar-me, no fim, este foi o fator principal da desunião.

    Aliás, já mestrei para um grupo grande, onde haviam três casais e quase todas as mesas em que joguei havia uma garota, logo, nunca entendi essa frescura de preconceito, parece coisa de “nerd-virgem” mesmo.

    Comecei a jogar no AD&D, o meu primeiro personagem foi um Bárbaro, ao estilo Conan, mas foi o ladino que acabou tornando-se minha classe preferida como jogador, embora tenha preferência por mestrar.

    Gostei do podcast, espero que vocês façam outro comentando mais detalhadamente suas melhores e mais inusitadas experiências como ‘mestres fêmeas’.

    Aproveitando, pergunta: O projeto Vem Jogar RPG aceita jogadores/mestres experientes (16 anos de RPG) ou apenas novatos? Fiquei interessado em fazer uma visita, quem sabe mestrar, se possível, ou mesmo jogar em alguma mesa.

    • Oi Daniel!

      Legal você compartilhar essa experiência conosco! ficamos felizes em saber que a “nova geração” tem uma mente mais aberta e portanto menos viciada em preconceitos!

      O Projeto Vem Jogar RPG está aberto a todos, novatos e veteranos. A roleplayers disponibiliza mesas e mestres para quem aparece por lá mas o espaço está aberto para todo rpgista que quiser levar seu grupo ou até mesmo encontrar parceiros de jogo por lá!

      A Fábrica também conta com um acervo de livros de RPG catalogados na biblioteca para dar um melhor suporte!
      Passe lá sim, veja como é, converse com a galera que estará lá e tragam seus amigos, quanto mais mostrarmos que nosso hobby é popular, mais incentivo para essa e outras iniciativas teremos!

      Bjs D20!

  5. Recomendo se possível for, incluir o feed no Itunes, é sempre bom, afinal é a única forma que alguns podem ouvir, baixando pelo Itunes em seus Ipods e Iphones…

  6. Acho muito legal, e normal que as garotas estejam jogando RPG, sou fã de jogadores de RPG pois cresci com um “mestre” que armava suas batalhas e duelos na nossa sala de jantar(meu irmão) ele fez disso sua vida, seu ap é um centro nerd de concentração de produtos dos jogadores.Sempre vi os jogos mas me sentia de fora ( envergonhada) pra jogar, agora estou criando coragem de participar. Desde já deixo o maior apoio para divulgar a participação das mulheres nos jogos, coisa que sempre vi acontecer nos encontros do Grupo “Saia da Masmorra”,em Ipanema,aqui no Rio. Abraços a todos Players!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    • Vai Drica! Não tenha vergonha não! Todo mundo que começa não sabe direito como agir, oque fazer e se será bem recebido pelo grupo, mas vá fundo, tenho certeza que você será exemplo para mais meninas que também sentem-se de fora quando observam uma partida de RPG e gostariam de experimentar pra saber como é!

      Bjs D20!

      • Cara, é sempre legal ouvir sobre pessoas que jogam rpg e suas experiências, independente do sexo, idade, tempo de jogo, etc. Assim como o Cristiano comentou que nunca fez distinção, até pq sempre tinha mulheres jogando, eu tb nunca tive, tivemos épocas que tinhamos mulheres na mesa, e épocas que não tivemos.
        Eu acho legal as pessoas nao ficarem ‘segregando e SE segregando’ incentive as mulheres, assim como vc incentiva homens, novos jogadores, etc…
        É maneiro ter mulheres na mesa, dá um diferencial sim. Até pq, realmente é raro achar mulheres que joguem. Assim como é difícil (mas não tão raro) achar pessoas que jogam e não são tão (como diriam) “nerds”…tão viciadas em rpg, mas na verdade, muitas das vezes, jogam mal, tem a mente muito petrificada nas coisas, são chatos etc.

        Acho que os próprio jogadores em geral se segregam, homem, mulher etc. Esse papo de “sou rpgista”, “rpgista nao tem namorada”, embora POSSA até ser uma realidade, de uma maioria, as pessoas nao devem ficar, se excluindo como se fossem párias da sociedade…lembrem-se que assim também eram os fãs de quadrinho e mangá, e hoje virou moda. Não são mais párias.

        Nada contra, gostei de ouvir as expêriencias, nunca tinha visto um podcast sobre, mas mulheres no rpg é tão antigo quanto o próprio rpg.

        E um conselho para os mestres sem paciência, eu nunca entendi isso, nem consigo aceitar que eles existem. Até pq é MUITO melhor um jogador novato(que nao tem vícios nem nada), pelo menos todos os novatos nunca me decepcionaram.

        • Oi Yuri!
          Obrigada por partilhar conosco sua opinião.
          Mulher no RPG é antigo sim, mas é como mulher no futebol, mulher em cargo de liderança, é normal, faz um tempão que acontece mas ainda existe preconceito, bem menos agora, mas existe até por parte das próprias mulheres, já ouvi muita mulher dizendo que não queria ver como era essa tal RPG que “tirava” o namorado dela porque era coisa só de homem, isso não é pra existir mais! rsrs
          E fico feliz em saber que o público do RPG é muito mente aberta, isso quebra um tabu gigantesco, um espaço que as pessoas pensam ser um abismo é na verdade apenas a falta de diálogo e experiência! Gente que ainda pensa que RPGista vive entocado em porão fazendo “rituais secretos”.

          Bjs D20!

  7. Muito bom saber que as mulheres estao a tomar este universo, pea que em minha mesa apenas uma mulher passou, e nao se deu muito bem…infelizmente nao sou tao piedoso como outros narradores sao para com mulheres, e tao pouco para com homens. Mas feliz por saber das experiencias de vocês trocadas com aquelas que ouvem e nao sabem como iniciar neste mundo, no mundo do RPG!
    Muito bom mesmo…
    continuem sempre com este projeto, e continuem a trazer ainda mas essas mulheres ocultas para o lado negro da força o RPG!rsrs…
    Abraços e Possuem meu apoio caso precisem!

    ABraços Respeitosos!

  8. Fui a primeira vz na fabrica no dia q a Thais tava mestrando eu assisti cm meus amigos e achei mto legal,ela parecia estar curtindo.
    Nao fiquei muito tempo, lembro dos rostos das 4 e vi um pouco da aventura de cada mestre q estava la mestrando, teve um momento mto louco la depois com um dos mestres e a mesa dele q interpretou os personagens na frente do evento, vi a Liz narrando e achei bem legal tb, ela tinha umas runas na mesa, a Bárbara eu vi de longe em uma interpretação com um menino q parecia q tava quase chorando mas qndo fui passar para ver a mesa parece q eles tinham feito um intervalo, assisti a renata tb, ela disse q era a primeira vz mestrando se nao estou errado e por isso nao vou criticar tanto, vou deixar a opiniao q tive pra la pq era a primeira vz dela,mas isso me gerou uma duvida,a roleplayers nao eh uma empresa soh com mestres profissionais? Nao que nao seja legal, pelo contrario, acho massa dar chance aos novatos e ensinar, mas vcs tem uma oficina e tudo mais, vi comentarios de uns mestres novatos no outro evento q estavam sendo graduados,mas no caso da pessoa n manjar de rpg e nao saber tb levar uma mesa bem nao seria o caso de trabalhar com a pessoa nisso antes da pessoa prestar um tipo de serviço ao cliente sem mta qualidade?
    Nao quero falar de ninguem em especial eh uma duvida mesmo pensando na roleplayers e no q tenho visto incluindo ouvido tb.
    Acho tb mto massa vcs darem essa liberdade de se expressar para as pessoas.

    • Oi Lucas!
      Ué, vcs foram pra olhar e não sentaram em nenhuma mesa?!!! Rsrs

      Achamos super interessante você querer saber como funciona o recrutamento de novatos para as mestragens da roleplayers, mas prefiro pedir ajuda da coordenação (PRODUÇÃOOOO!!!!) pra dar mais detalhes até porque quem quiser fazer parte do córum de mestres da roleplayers precisa saber!

      O que posso adiantar é que como vocês podem observar existem digamos, níveis diferentes de enventos, eventos mais reservados, mais barulhentos, mais exigentes e mais livres assim como também existem mestres que serão perfeitos para trabalhar os novatos ainda tímidos e os mestres que serão melhores para administrar uma mesa só de veteranos. Um é melhor que o outro? Não, apenas têm características que melhor atendem um determinado público.

      Precisamos ir soltando os novatos em eventos sim, há uma preparação por trás disso? Sim! A Fábrica de cultura é um local que inclusive incentiva os primeiros passos dos mestres para se tornarem profissionais tanto é que é nesse espaço que desenvolvemos a Oficina de Narradores, aliás, temos inscrições abertas para Março, é gratuito mas tem vagas limitadas devido ao espaço (interessados escrevam para contato@roleplayers.com.br). Mas voltando ao assunto, no caso do “cliente” Fábrica de Cultura e evento 1o Encontro de RPG, é completamente cabível encorajarmos os novos mestres a encarar o público, recolher feedbacks e também se auto avaliar.

      Por mais que eles mestrem para os amigos, para os próprios mestres da roleplayers, encarar um grupo de desconhecidos é beeeemmm diferente! Até mestres experientes recebem críticas, erram, se enganam ou acertam sem querer!

      Além do conhecimento e experiência em RPG, exitem eventos que até exigem uma seleção de perfil pessoal dos mestres, eventos mais cult não ficam bem para mestres mais hiperativos, ou mestres mais tranquilos provavelmente não cabem em eventos onde a garotada predomina e assim por diante.

      Espero ter esclarecido um pouco de como é o nosso trabalho na roleplayers!

      Querendo saber mais escreva para nós!
      Liberdade de expressão sempre! Precisamos saber como nosso trabalho está sendo recebido, melhorar, mudar ou explicar porque é!

      P.S. Vocês vão perceber que eu adoro runas e cultura nórdica! 😉

      Bjs D20!

    • Oi Lucas,

      Pela descrição das mesas e narradores, você visitou o I Encontro de RPG na Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha. Obrigado pela presença! 🙂

      no caso da pessoa n manjar de rpg e nao saber tb levar uma mesa bem nao seria o caso de trabalhar com a pessoa nisso antes da pessoa prestar um tipo de serviço ao cliente sem mta qualidade?

      Só pra esclarecer Lucas: a Renata não estava sendo comissionada para narrar nesse evento. Ela estava trabalhando pela Roleplayers sim, mas, assim como os demais novatos, ela veio nos ajudar como staff de apoio, ajudando na produção e na parte estrutural do evento.

      Depois que já tinha batalhado conosco pra colocar toda a organização do evento em ordem, ainda haviam mesas vazias e jogadores aguardando que surgissem narradores vountários no evento, então ela se empolgou em ver tanta gente bacana jogando e narrando que pediu permissão pra coordenação do evento pra sair do seu posto como suporte e, assim como qualquer outro visitante do evento, tentar narrar sua primeira mesa de RPG.

      Como ela estava uniformizada, entendo a confusão e vou cuidar disso com mais atenção nos próximos eventos. Entretanto, pela animação dos jogadores na mesa da Renata, tenho certeza que, por mais que ela ainda não tenha a experiência da Bárbara ou da Eliza, ela certamente passou longe de narrar um jogo de RPG chato ou ruim. 😀

      Agradeço pela sua dúvida e espero ter esclarecido.

      Se não, pode escrever. 😉

      • Esclareceu sim, esclareceram alias.
        De tudo o que foi dito só discordo da parte na qual a mesa estava animada meu comentario surgiu justamente da observação da mesa que diz o contrario do que você afirmou, como também me disse um dos participantes.
        Mas você esta correto sobre o resto e na verdade minha observação realmente só foi feita pelo uniforme.
        Deixo aqui claro também que não tenho nada contra vocês ou contra a Renata em especial, pergunto só como participante do evento e possível futuro jogador das mesas da roleplayers principalmente por toda a carga de informação sobre qualidade na narração que vocês trazem com vocês.
        Agradeço de novo por deixarem tão livre o acesso a vocês e essa liberdade também de perguntar sobre qualquer assunto.
        Agradeço a Liz pela resposta e desejo que a renata receba como uma crítica
        construtiva essas observações.
        Abraços a todos!

        • É isso aí Lucas, fica como crítica construtiva!

          Obrigado pelo apoio. Criticar ajuda bastante a melhorar. 🙂

    • Oi Lucas.
      Vou te contar um segredo… he he he. Aquele dia no Fabricas foi a primeira vez que mestrei! Tentei dar o meu melhor, com tudo o que eu sei do RPG.
      É com a oficina no fabricas que nós aprendemos mais e mais para sempre fazer o melhor, e algum dia quero ser tão boa quanto meus amigos da roleplayers.
      valeu por escultar nosso podcast*-*
      beijocas

    • Eu agradeço pela crítica, admito que minha mesa não estava muito animada, também porque tinha crianças jogando comigo, e é difícil prender atenção deles com tanta coisa acontecendo no evento HAUHAUAHU, estou tentando melhorar meu RPG, em todos os pontos. Gosto mais de ficar de staff e ajudar em casos de necessidade, que foi meio o que aconteceu, já que todos estavam mestrando e tinha uma mesa já pronta, e eu tinha uma aventura já pronta, e pensei ‘porque não ?!’
      Mas, sem querer me gabar, um dos meninos que jogou comigo, continuou indo no fábricas o resto do ano, e está indo esse ano também, e gosto de crer que eu ajudei a fazer ele ir lá uma vez, e todo o resto da equipe Rolepayers fez ele continuar indo!

  9. Achei extremamente positiva a iniciativa de vocês, gostei demais do Podcast, acredito que é um P*** incentivo para o roleplay no Brasil. Faz tempo que não escutava algo tão divertido dentro do rpg…

    “E vamos jogar rpg porque rpg é doido demais!” (Tio Nitro – Newton Rocha)

    • Tio Nitro! Até você aqui seu lindo!
      Gratidão! Nossa intenção é que se propague cada vez mais porque RPG é “bão d+ da conta”!!

      Bjs D20!

      • Liz, vc se confundiu! 😀

        Embora o Luíque tenha usado o famoso bordão do Tio Nitro, eu conheço o RPGssauro Massavéio mais Doidimais do mundo do RPG e eles são pessoas diferentes!

        Olha só o Luíque bancando o Doppelganger! 😉

        • Kkkk!!! Desculpa gente, muito trabalho e empolgação!!
          Sou muito ingênua, quase nunca jogo Sentir Motivação nos comentários!
          De qualquer forma, desculpe o mal entendido Luíque! Obrigada pelo apoio e que rolem os dados!!

          Bjs D20!

  10. Muito bom o podcast o tema é realmente “complicado” eu jogo RPG há uns 13 anos m,ais ou menos e mestrei muito poucas vezes para garotas, mas eu sempre tive uma coisa na cabeça: independente de ser uma mulher, ela é um jogador e deve ser tratado como tal.
    Bem no meu grupo há uma mesa somente para garotas iniciantes ^^ é legal ver as meninas desenvolvendo seus personagens^^ e sempre perguntam para os veteranos se estão indo bem… rs

    enfim muito bom ouvir o lado de vocês Mestres Fêmeas oque reforça mais ainda a minha postura quanto a esse assunto ^^

    • Salve Fabricio!

      Que bom saber que você tem uma mesa de meninas iniciantes!! Quero ver essa galera disputando desafio D&D mais pra frente!
      Essa postura neutra com relação ao jogador é para nós também a melhor pedida, homem ou mulher é um jogador, um personagem e devem estar sujeitos às mesmas regras.

      Bjs D20!

  11. Boa noite a todos!

    Quero parabenizar vocês pelo excelente trabalho e gostaria de aproveitar este espaço para me apresentar e fazer um convite para futuros jogos.
    O meu nome é Leandro e sou de Santa Catarina, moro perto da capital do estado. Jogo RPG há 26 anos e mestro um sistema cuja temática é fantasia Medieval (Dragões, Cavaleiros, Magias, Seres Divinos e Místicos, Elfos e Hobbits, etc).
    Vamos começar a jogar no fim de fevereiro e gostaria de convidar à todos (homens ou mulheres) que estiverem interessados em começar a jogar, para fazer parte do grupo que vamos iniciar.
    Favor entrar em contato pelo e-mail: leandrodasilva@bb.com.br

    Grato pela atenção de todos!

Submit a Comment