Fúria de Príncipes #05: Morte: As Velhas e Suas Artimanhas

Com o patrocínio da Jambô Editora, toda segunda, 21h, Bruno Cobbi e eu nos reunimos lá no canal hitbox da Roleplayers para trilhar os passos de Colthar e Lothar, dois príncipes gêmeos em busca do trono num dos livros-jogo da Coleção Aventuras Fantásticas! Acompanhando ao vivo, você vota pra decidir a continuidade da aventura e ainda participa do sorteio de um montão de brindes!

Assista os episódios anteriores no YouTube ou leia os resumos aqui no site e confira o que rolou no quarto episódio e os ganhadores dos prêmios logo a seguir! 😉

“Ó valoroso príncipe! Nossos grandes avançaram mais um pouco em direção à seus objetivos. Continuam a viajar juntos e enfrentar os perigos deste mundo usando de sua astúcia em conjunto. Desta vez colocaram-se em seu caminho três velhas decrépitas e farroupilhas que nada tinham no rosto no lugar dos olhos a não ser suas órbitas esburacadas. Enxergavam compartilhando de um único olho que trocavam entre si. Também possuíam outros dois objetos em suas mãos que trocavam constantemente: uma garra e um dente. Logo que avistam nossos bravos elas se adiantam em perguntar-lhes qual delas é a mais bela das três. Colthar logo toma a frente e gentilmente responde que todas as três compartilham da mesma beleza e que por isso não teria como escolher uma só. E foi então que o mais inesperado aconteceu, ó príncipe! Eis que subitamente as velhas atacaram Colthar ferozmente mordendo-lhe o ombro com o dente e dilacerando-o com a garra. Lothar, sem ter tempo para uma reação, apenas assistiu a cena por segundos e um clarão que o cegou veio diretamente do olho que uma das velhas segurava, desacordando-o. Quando recobrou sua consciência, Colthar e as velhas haviam desaparecido. Se viu mais uma vez sozinho em meio às trilhas da floresta.
Inspirado pelos deuses, nosso bravo feiticeiro seguiu pela trilha que havia em sua frente até que um belo cântico invadiu seus ouvidos e odores malcheirosos penetraram suas narinas: havia um pântano em meio à trilha. Por alguns instantes aquela música inebriante quase o fizeram sair de seu caminho para seguí-la. Mas os deuses foram bondosos lhe dando força de vontade para resistir e o guiaram para longe daquela voz.
Nesse novo caminho, ele avista uma luz que meneia em meio àquele pântano fétido. Preocupado de que estivesse na mira de uma emboscada, resolveu chamar pelo dono da fonte de luz e seguir no encalço daquele ponto bruxuleante, saindo de sua trilha para singrar o pântano malcheiroso.
Infelizmente sua sorte foi colocada à prova e, sem que percebesse, pisou em um ponto de lama movediça que o sugou para dentro de um buraco onde pôde entender de onde vinha aquele odor fétido: haviam gases dentro do buraco que rasgaram suas narinas e queimaram seus pulmões quase matando-o envenenado. Felizmente os deuses são bondosos e o ajudaram a sair do buraco com vida, mesmo que com muita dificuldade em respirar.
Para sua sorte, não perdera a luz de vista e conseguiu seguir em seu encalço mais uma vez, sempre chamando por seu dono que nunca respondia. Até que chegou em uma mata virgem, repleta de salgueiros, por ente o ponto luminoso adentrou e sumiu em meio à noite densa.
Lothar, guiado pela vontade divina, deixa a trilha e decide adentrar os salgueiros atrás da luz. Em poucos instantes chega até uma choupana velha e carcomida de onde saiu um velho e bondoso pantaneiro que lhe oferecera uma boa janta e uma cama para recuperar suas forças.
Na manhã seguinte, o velho bondoso lhe empresta seu bote para que ele cruze o pântano com maior facilidade e finalmente Lothar consegue cruzar aquele lugar pútrido e seguir sua viagem em paz.
Após a longa margem do pântano, o terreno se ergueu em montes tão escarpados que fizeram com que ele decidisse seguir pelas suas encostas, onde ficaria mais perto do solo.
Foi então que avistou uma clareira, mas tudo estava quieto demais e uma ventania quebrou aquele silêncio, as nuvens escureceram, raios e trovões cortaram os céus e à frente de Lothar apareceram 3 criaturas inteiramente formadas por raios e relâmpagos: 1 maior e com forma mais humanóide; as outras duas com formas de bestas ferozes que prontamente atacaram nosso bravo feiticeiro.
Lothar derramara mais uma vez seu sangue no campo de batalha mas sua Fúria de Príncipe conseguira dar cabo daquelas feras horrendas.”

VENCEDORES DOS SORTEIOS

Cupom

  • Roqnroll

Livro

  • Roqnroll

Author: Leandro "Siegfried" Caldarelli

Narrador Fundador e Produtor da Roleplayers. É ator e diretor, apaixonado por RPG tanto quanto pelo teatro e sempre gostou muito de narrar em eventos. É entusiasta de tech art e sommelier de cervejas. Adora HQ's, Mangás, Anime, jogos eletrônicos (principalmente antigos) e jogos de tabuleiro. Narrativista e adepto do roleplay ao extremo, suas mesas geralmente são super imersivas, fazendo os jogadores mergulharem no universo da fantasia.

Share This Post On

Submit a Comment