Fúria de Príncipes #03: A Prova de Honra dos Druidas

Com o patrocínio da Jambô Editora, toda segunda, 21h, Bruno Cobbi e eu nos reunimos lá no canal hitbox da Roleplayers para trilhar os passos de Colthar e Lothar, dois príncipes gêmeos em busca do trono num dos livros-jogo da Coleção Aventuras Fantásticas! Acompanhando ao vivo, você vota pra decidir a continuidade da aventura e ainda participa do sorteio de um montão de brindes!

Assista os episódios anteriores no YouTube ou leia os resumos aqui no site e confira o que rolou no terceiro episódio e os ganhadores dos prêmios logo a seguir! 😉

“Saiba, Imaculado Príncipe, que os ferozes seguem a singrar e cortar as terras em busca das gemas demoníacas que tecem o destino de seu legado. Não à toa estão despertando a fúria dos Deuses por onde passam, deixando atrás de si um rastro de feitos grandiosos e um punhado de gente boquiaberta. Apesar de separados, seguem seu caminho bravamente sem hesitar fazendo com que até mesmo os mais temidos tremam diante de sua presença gélida e fervorosa!

Lothar cortou as correntezas do rio Scamder, caminhando para além do lago plácido onde repousam feras invisíveis adormecidas. Foi da vontade dos Deuses que ele encontrasse uma trilha e seguisse por ela, safo de quaisquer danos.

Esta trilha, porém, se dividiu e os mesmos Deuses furiosos o guiaram até uma clareira onde encontrou um grupo de humanos cobertos por vestes semelhantes às suas, munidos de cajados e talismãs, de um semblante frio e sóbrio. Um deles se destaca da multidão pela quantidade de sortilégios a mais que carrega consigo, uma pequena foice dourada presa à cintura e um adorno de cabeça nada amigável. Ele acena para Lothar com um gesto peculiar e parece aguardar alguma resposta.

O silêncio e o calor do sol da manhã preenchem a alma de Lothar que pára por alguns instantes e dirige seu olhar à nuvens que reinavam nos céus incólumes, às vezes recobrindo o sol que os iluminava. Foi então que, num sussurro divino, ergueu sua mão em resposta, repetindo a saudação do que parecia ser o líder daquela turba, com o desejo e a confiança de que estaria lançando de boa prática.

Ainda em meio ao silêncio sepulcral e sustentando o diálogo por gestos, o líder agachou ao chão e rabiscou algo na terra úmida do sereno noturno:

b53da8a1caf3f1d4228e30f7b0cc8740
Lothar, ainda inspirado pelos Deuses, identificou aquele símbolo e, sem pestanejar, rabiscou algo ao seu lado:

sonne-mond
Foi então que, munido de seu intuito, o líder sisudo estremeceu e se levantou, vociferando as primeiras palavras que cortaram o silêncio matinal, perguntando quem era o rei e quem era o mestre. Lothar se ergueu também e, ainda inspirado, respondeu que a Lua é a Rainha e o Sol o mestre.

Logo foi ovacionado pela turba e pelo seu líder que o conduziram até um altar e acenderam um fogareiro. Ofereceram-lhe duas ervas, um visgo e uma hera, e pediram para que ele queimasse aquele que bem entendesse. Lothar não deixou o sopro divino lhe escapar e, apesar de hesitar por alguns instantes, pegou o punhado de hera e a queimou na fogueira.

Novamente as ovações tomaram a clareira enquanto líder solicitava que trouxessem a próxima prova de fogo: 4 taças de materiais distintos preenchidas por líquidos, cada taça forjada em um material diferente; pedra, ouro, prata e cristal. Lothar mais uma vez recorre ao poder dos deuses, fecha os olhos e apanha uma das taças, a de pedra, dando uma boa golada de seu conteúdo.

Pela primeira vez os Deuses parecem lhe abandonar. Sua visão embaça e ele cai desacordado. Em seus sonhos dizem que ele viu um estalajadeiro macabro conduzindo pessoas até um cepo e cortando-lhes a cabeça fora enquanto gritava oferecendo estadia e comida por 1 peça de ouro.

Acordou do transe somente na manhã seguinte e encontrou a clareira completamente deserta, decidindo seguir pela trilha para refletir sobre a alucinação macabra que os druidas lhe trouxeram.

Mas os Deuses finalmente decidiram ser piedosos e sopraram seus ventos para conduzir um emocionante reencontro com Colthar que caminhava pela mesma trilha. Os príncipes gêmeos então regozijaram o reencontro, montaram novamente em seus cavalos e seguiram pela trilha juntos até seu infeliz encontro com um charlatão coletor de impostos e muitos capangas que lhes tomara os cavalos e quase todo o seu dinheiro. Furiosos, mas conscientes de que a luta não valia a pena, ouviram os deuses e seguiram seu caminho em direção às montanhas onde foram inspirados a continuar trilhando por terra e contornar sua encosta, por onde a Fúria dos Príncipes agora seguirá…”

VENCEDORES DOS SORTEIOS

Cupom de Desconto

  • Idhrun

Livro

  • Roqnroll

Author: Leandro "Siegfried" Caldarelli

Narrador Fundador e Produtor da Roleplayers. É ator e diretor, apaixonado por RPG tanto quanto pelo teatro e sempre gostou muito de narrar em eventos. É entusiasta de tech art e sommelier de cervejas. Adora HQ's, Mangás, Anime, jogos eletrônicos (principalmente antigos) e jogos de tabuleiro. Narrativista e adepto do roleplay ao extremo, suas mesas geralmente são super imersivas, fazendo os jogadores mergulharem no universo da fantasia.

Share This Post On

Submit a Comment