O Espaço Imaginário Coletivo (ou como todos os jogadores imaginam o mesmo ambiente imaginário de forma semelhante?)

Um salve a todos!
Esta é a minha primeira matéria para a Roleplayers e vou começar abordando um tema pouco discutido: como um mestre/narrador deve descrever o ambiente e local onde uma aventura está ocorrendo para o bom entendimento simultâneo de todos os jogadores presentes de forma clara e coesa?

A Descrição e a ambientação em uma partida de RPG são somente algumas das várias funções que um mestre/narrador deve desenvolver para o andamento de uma boa aventura. Falaremos das outras funções em matérias futuras.

Imagine a seguinte cena: “Os heróis entram em um templo abandonado. O local é sujo e empoeirado com diversas colunas caídas ao chão.” Todos os jogadores presentes vão imaginar o templo e a cena descrita da melhor forma que puderem. Mas será que todos imaginam a cena do mesmo jeito? Com tão pouca descrição com certeza não! Cada jogador vai imaginar a cena do seu jeito e a falta de descrição de um ambiente, além de ocasionar que cada jogador imagine o lugar de um jeito diferente, pode atrapalhar o desenrolar da aventura.
Na cena descrita, um jogador resolve realizar uma ação em que seu personagem corre por toda a extensão do salão. Então o mestre/narrador lhe adverte:

Mestre/Narrador — Você não pode correr atravessando o templo! Tem colunas caídas!
Jogador — Colunas? Mas eu pensei que as colunas estavam caídas nos cantos do salão.
Mestre/Narrador — Não! Elas estão caídas de atravessado!
Jogador 2 — Espera ai mestre. Descreve de novo porque eu já me perdi todo….

Pode parecer um pouco forçado, mas é muito comum isso acontecer. Não é a toa que hoje em dia temos tantos jogos de rpg que utilizam matrizes de combate e de localização de personagens em uma cena e aventuras com dezenas de ilustrações para ajudar a visualizar a ambientação que será descrita pelo mestre. Tudo isso faz parte da ação para que todos possam imaginar o local/ambientação descritos da mesma maneira que os criadores imaginaram, criando um ambiente imaginário coletivo, onde todos conseguem visualizar em suas mentes um local completamente imaginário (confuso, né? só que não!)

MESTRAR/NARRAR É COMO ESCREVER UM LIVRO

Boy businessman writing in book

 

Quando eu digo que você deve ser como um escritor, estou me referindo à descrição da aventura. Claro que ninguém precisa descrever suas aventuras como o próprio J. R. R. Tolkien e seus cenários em O Senhor dos Anéis (se bem que ficaria legal!) mas quanto melhor e mais rica for uma descrição, melhor ela será captada pelos jogadores e conseqüentemente todos começarão a compartilhar daquele ambiente imaginário que o mestre/narrador propôs.

Ao escrever este artigo, lembrei-me das aventuras da campanha de Tormenta que narrei há 10 anos (eu sequer consigo me lembrar com que roupa eu estava, se fazia sol ou chuva no dia em questão, rsrsrsrsr). Mas me lembro perfeitamente do lugar em que meu personagem estava, como ele estava vestido e me lembro como cada um dos outros personagens da aventura estavam e, conversando com os jogadores que estiveram presentes naquela campanha, a resposta foi a mesma: todos lembravam-se das cenas, dos personagens e dos ambientes exatamente da mesma maneira, como se todos tivessem assistido ao mesmo filme. Mas não: todos compartilharam o mesmo espaço imaginário.
Isso é algo que um bom narrador de RPG consegue fazer acontecer. O mesmo vale para contadores de histórias e escritores em geral.

MÃOS À MASSA!… QUER DIZER… AOS LIVROS!

Mão na massa

 

Se você joga RPG, é mestre/Narrador, e ainda não teve a sensação de que todos em sua mesa partilharam do mesmo espaço imaginário que você criou, aqui vão algumas dicas:

  • Leia bastante! Mas leia mesmo! Nada melhor que boa literatura para inspirar você a descrever melhor os ambientes de suas aventuras;
  • Dê detalhes as suas cenas, descreva em suas aventuras como se fosse um escritor descrevendo um ambiente em seu livro;
  • Use música. É um Recurso excelente para ajudar a criar atmosfera na sua mesa de jogo. A música ajuda a inserir ainda mais os jogadores dentro do mesmo espaço imaginário. Existem ótimas trilhas sonoras disponíveis no mercado. Um bom começo é escolher uma delas;
  • Use e abuse de imagens. Como dizia aquele velho ditado “Uma imagem fala mais do que mil palavras”. Então, se você além de descrever sua cena ainda tiver uma ilustração, vai ajudar e muito! Como dito anteriormente, hoje existem diversas matrizes de combate e de ambientes que podem ser usadas para posicionar todos os jogadores dentro da sua ambientação/cena.

Se o mestre/Narrador fizer uma descrição bacana, com certeza todos irão compartilhar de um mesmo espaço imaginário e sua aventura vai parecer com um bom filme! Nem irão lembrar-se das rolagens dados! O que vai ficar na lembrança serão o mundo descrito e os personagens.

Author: Anderson Corte

Sou desenhista, ilustrador e modelador 3d, mas só nas horas vagas. Jogador mediano de games, mestre e narrador de RPG (aquele jogo de maluco), aspirante a escritor

Share This Post On

2 Comments

  1. EU não gosto de utilizar muitas imagens quando mestro; até por que o RPG é um jogo de imaginação e acho que esta pausa para apresentar uma foto ou então um mapa acaba quebrando a sequencia da seção ou da narração. As bases desse jogo são a interpretação; e batalhas ou outros eventos do tipo servem, somente, para regrar um pouco os jogadores e sua interpretação, ou então para ajudar a guiar uma boa campanha (como ter de derrotar a poderosa guilda de bandidos local ou ter de arcar com seus delitos) dando mais tensão e interação.
    O que eu quero dizer é que não se deve ser dada tanta enfase à exatidão do cenário com mapas se a mesma não for necessária, por isso que, em minhas, campanhas quase nunca apresento os memos (a não ser naquela tão esperada batalha contra o grande chefe) apoiando-me na narração e instigando a imaginação e a interpretação dos jogadores e, é claro, dando uma margem de erro para mim ^^.

    • Concordo 100% com você de que RPG é sim um jogo de interpretação e por isso envolve tanto a imaginação. A ideia deste post, foi a de justamente compartilhar e/ou debater se estamos todos juntos imaginando a mesma cena ou ambientação de forma semelhante ou igual a qual o mestre esta descrevendo. Conseguimos no RPG deixar de ver nossas fichas e compartilhar todos um mesmo ambiente imaginativo? Se você como mestre consegue esse feito…então esta no caminho certo.

Submit a Comment